Mindfulness como Ferramenta de Promoção de Saúde - Mente Aberta Mindfulness Brasil

Mindfulness como Ferramenta de Promoção de Saúde



Pode-se dizer que os programas de Mindfulness têm impacto em todos os aspectos da Promoção da Saúde, compreendida em seu sentido mais amplo e moderno como “qualidade de vida e bem-estar na sociedade”. Os programas de Mindfulness têm como princípio o desenvolvimento de autoeficácia e autonomia em saúde das pessoas por meio do treinamento da atenção plena, aspectos esses considerados fundamentais no conceito moderno de Promoção da Saúde, em especial no campo “Desenvolvimento de habilidades pessoais” (DEMARZO, 2018).

Por Centro Mente Aberta / Dr Marcelo Demarzo

A Promoção da Saúde também pode ser compreendida como “compartilhamento de possibilidades para que todos e todas possam viver seus potenciais de forma plena. É perceber a interdependência entre indivíduos, organizações e grupos populacionais e os conflitos decorrentes desta interação. É reconhecer que a cooperação, a solidariedade, como práticas sociais correntes entre sujeitos, precisam ser, urgentemente, resgatadas. Promover a saúde é uma imposição das circunstâncias atuais que apontam para a necessidade imperiosa de novos caminhos éticos para a sociedade”, ressalta Rosilda Mendes, Professora do Instituto de Saúde e Sociedade, da Universidade Federal de São Paulo (ISS/Unifesp), no artigo Vamos falar de saúde e qualidade de vida?.

Mindfulness têm sido utilizada como ferramenta de suma importância na promoção da saúde mental e física das pessoas ao redor do mundo, em diversos contextos. Desde a década de 2000, houve um crescimento explosivo do interesse em Mindfulness nos países do ocidente, com ampla cobertura na mídia, publicações de livros best-sellers e um notável crescimento de conteúdos disponíveis online.

Também há um crescimento exponencial nas pesquisas acadêmicas sobre o assunto, com centenas de artigos científicos publicados anualmente, corroborando os benefícios de Mindfulness nos sintomas de ansiedade, depressão, dores crônicas e diversas doenças. Ao mesmo tempo, avanços na neurociência e na psicologia vêm esclarecendo os mecanismos de Mindfulness no cérebro e no comportamento humano. 

Em 2010, no reino Unido, esses argumentos inspiraram o Grupo Parlamentar Interpartidário Mindfulness – Mindfulness All-Party Parliamentary Group (MAPPG) a iniciar um inquérito a fim de explorar a potencial relevância de Mindfulness em uma gama de desafios políticos enfrentados pelo governo. Vários membros do MAPPG sentiram-se impressionados com o potencial de Mindfulness após experimentarem pessoalmente os benefícios por meio de cursos oferecidos em Westminster2.

O resultado desta experiência foi a implementação oficial de Mindfulness como ferramenta de políticas públicas no Reino Unido, em diferentes contextos, especialmente na saúde, através do National Health Service – NHS, correspondente ao nosso SUS .

De acordo com o relatório apresentado pelo MAPPG, “Mindfulness tem um papel a desempenhar frente à crise de saúde mental, já que aproximadamente uma entre três famílias da Inglaterra possui alguém que está mentalmente doente. Até 10% da população adulta do Reino Unido irá sofrer de sintomas de depressão em uma dada semana.”

Doenças de caráter físico absorvem a maioria do orçamento de saúde; a paridade entre as saúdes mental e física é uma urgente prioridade.  O MAPPG afirmou que “Já está claro que Mindfulness é uma importante inovação na saúde mental, que merece séria consideração de políticos” e solicitou que “pesquisas sejam feitas sobre o potencial custo-efetividade de Mindfulness, gerando economia em áreas-chave dos gastos governamentais.”

Com a pandemia do Coronavírus e o visível aumento nos sintomas de ansiedade e depressão na população, a promoção da saúde mental e física se faz ainda mais urgente. No Brasil, a meditação foi incluída entre as Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) . No entanto, há um longo caminho para o oferecimento dos Programas baseados em Mindfulness à população, em diferentes contextos, com embasamento e acompanhamento de sua efetividade através de publicações científicas.

Referências:

Mindful Nation Report – https://www.themindfulnessinitiative.org/mindful-nation-report

Artigo de Rosilda Mendes / Unifesp: Vamos falar de saúde e qualidade de vida?  

Marcelo Demarzo. Mindfulness e Promoção da Saúde. – Tese (Livre-Docência) – Universidade Federal de São Paulo. Escola Paulista de Medicina. Departamento de Medicina Preventiva. Disciplina de Medicina Preventiva Clínica. São Paulo, 2018. 153f.

Conheça o Centro Mente Aberta em https://mindfulness.unifesp.br

Todos os direitos reservados © 2019 - 2021