Mindfulness Brasil

Crianças podem praticar a atenção plena: conheça 2 exercícios simples



A aplicação de mindfulness (atenção plena) para as crianças pode melhorar a concentração, a criatividade, e ajudar na regulação de emoções difíceis

Assim como treinamos os músculos e a capacidade aeróbia com a prática esportiva, também podemos treinar a capacidade de atenção plena (mindfulness) em crianças.

O treinamento de mindfulness nessas faixas etárias pode ajudar a reduzir o estresse, aumentar o bem-estar, promover a aprendizagem adequada, e melhorar as relações interpessoais com os colegas e com os próprios pais.

A atenção plena pode então ser considerada como uma das bases para o desenvolvimento humano, e tem cada vez mais aplicada por escolas nos processos educativos na infância, e também na adolescência.

Alguns benefícios baseados em pesquisas recentes são em três níveis, físico, emocional e cognitivo:

– Físico: as crianças adquirem maior consciência de seu próprio corpo, distinguindo suas diferentes partes, além de tonificar a coluna vertebral. As crianças ganham uma postura mais adequada, mais flexibilidade e melhora muscular;

– Emocional: as técnicas ajudam a gerir emoções à medida que as manejam menos reativamente, em especial as emoções mais difíceis. O silêncio e as técnicas proporcionam uma maior serenidade emocional, além de estimular o companheirismo, a amizade e a compaixão por si mesmo e pelos outros;

– Cognitiva: a atenção plena ajuda a se concentrar melhor e estimula a criatividade, criando assim uma aprendizagem mais consolidada ao longo do tempo.

Como ensinar mindfulness às crianças e obter esses benefícios?

O ideal é que as crianças participem de um programa estruturado, com um instrutor certificado para trabalhar com essa faixa etária. Muitas escolas, púbicas e privadas, têm ofertado essa opção dentro dos currículos.

Podem ser usadas tanto “práticas formais” quanto “práticas informais” de mindfulness. As primeiras envolvem técnicas para se treinar a atenção intencionalmente em um ponto de ancoragem (treinamento atencional), enquanto as práticas informais envolvem trazer o estado mental de atenção plena para a vida diária, por exemplo, comer, conversar com alguém, ou se vestir com atenção plena.

Conheça duas técnicas simples

Abaixo, eu explico sobre 2 práticas formais (técnicas) que podem ser realizadas de maneira simples e segura com crianças (entre 7 e 11 anos), e podem ser aplicadas pelos próprios pais, se eles se sentirem confortáveis para tal.

Antes de começar, deve-se orientar a postura, sentada ou em pé, com o corpo estável (“como uma montanha”) e ao mesmo tempo relaxado, confortável. Os olhos ficam preferencialmente fechados, ou alternativamente, semiabertos, com a focagem relaxada.

O SOM DA RESPIRAÇÃO

Nessa prática a ideia é observar os sons da respiração. As crianças podem imaginar que estão no mar e que a respiração são as ondas, que se aproximam e se afastam da costa. O convite é para elas “possam ouvir seu próprio mar” enquanto respiram. O ideal
é que se pratique num lugar mais silencioso, e que não se modifique o ritmo natural da respiração (deixar sempre a respiração livre).

CONTANDO AS RESPIRAÇÕES EM 1 MINUTO

Nessa prática, bastante simples, e orientando também à criança que a respiração permaneça no ritmo natural (sem modificá-la), pede-se para ela contar quantas respirações observa em aproximadamente 1 minuto, sugerindo que conte as respirações sempre quando ocorre uma expiração (saída do ar).

As práticas devem ser feitas regularmente, se possível; e devem ser de curta duração, de 1 a 2 minutos no máximo cada exercício, sempre respeitando os limites e possibilidades de cada criança.

E os pais podem e devem idealmente praticam juntos, beneficiando-se também dos exercícios, além de se criar uma excelente oportunidade para se estar um tempinho a mais conectado com os filhos.

Vamos praticar?

Mande sua pergunta: Se você tem alguma dúvida ou curiosidade sobre mindfulness, atenção plena, ou neurociência do comportamento, por favor me escreva que terei prazer em abordar seu tema em textos futuros: demarzo@unifesp.br

Referência

García-Campayo, Demarzo & Modrego-Alarcón. Bienestar emocional y mindfulness en la educación. Madrid: Alianza Editorial, 2017.

 

Para Saber Mais Sobre Mindfulness

www.mindfulnessbrasil.com (Mente Aberta – Centro Brasileiro de Mindfulness e Promoção da Saúde – UNIFESP)

www.webmindfulness.com (WebMindfulness – Grupo de Pesquisa Coordenado pelo Prof. Javier García-Campayo – Universidad de Zaragoza, informações em espanhol)

www.umassmed.edu/cfm (Centro de Meditação “Mindfulness” na Medicina, Universidade de Massachusetts, Estados Unidos, informações em inglês)

 

Fonte – UOL

Todos os direitos reservados © 2019

Site desenvolvido por